AOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS

 

A Reforma da Previdência traz graves prejuízos aos Militares das Forças Armadas.

Mesmo perdendo menos que os servidores civis, os servidores militares ativos, inativos e pensionistas, estão perdendo, a começar pelo aumento do tempo de serviço e pelo aumento da contribuição previdenciária.

É claro que, dependendo do posto ou da graduação e do tempo de serviço, as perdas e as compensações são variáveis, mas continua havendo perdas.

Registro que as compensações decrescem obedecida a cadeia hierárquica – quem está em cima tem uma compensação maior do que quem está em baixo.

Independente de perder mais ou perder menos, os Militares das Forças Armadas, juntamente com os demais servidores civis e com os trabalhadores da iniciativa privada, deverão, unidos, lutar para barrar essa perversa reforma.

O fato do Presidente da República ser oriundo do Exército Brasileiro não pode possibilitar que equivocados promovam uma polarização entre civis e militares.

Os servidores militares têm parentes e amigos que são servidores civis ou trabalhadores da iniciativa privada, sendo, a recíproca também verdadeira.

Nunca antes na história deste país, colocar em prática a expressão “O povo unido jamais será vencido” foi tão necessária.

Deputado Federal Paulo Ramos – PDT/RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *