• Salve a Academia D. João VI, que retomou a tarefa de formar os Oficiais PMs – 17.05.2017



    ..

    ..

    O SR. PAULO RAMOS – Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, na semana passada, no dia 10 de maio, a Polícia Civil completou 209 anos e a Deputada Martha Rocha fez, aqui, o registro, homenageando todos os policiais civis, obviamente, contando com a nossa solidariedade.

    No dia 13 de maio, a Polícia Militar completou 208 anos. Sou oriundo, todos sabem, dos quadros da Polícia Militar. Estive, lá na Sulacap, na Academia D. João VI, que na minha época eu chamava de Escola de Formação de Oficiais. E lá, Sr. Presidente, além das lembranças que a Academia me proporciona, lembrando inclusive aquele soneto que é muito conhecido “como ave que volta ao ninho antigo, depois de um longo e tenebroso inverno…” E eu voltei. Lembrando-me “uma ilusão gemia em cada canto, chorava em cada canto uma saudade”.

    Mas, Sr. Presidente, tive a alegria de ver restabelecido o curso regular para formação dos oficiais da Polícia Militar realizado no seio da própria corporação. Imaginar que uma ousadia injustificável, inaceitável houve quem, sem qualquer apego, aliás, sem nenhuma responsabilidade, resolveu praticamente encerrar o curso. A turma que iniciava a formação, recebendo no dia 13 de maio o Espadim de Tiradentes, era a única turma, quando nós íamos à Academia, uma turma recebendo o Espadim do início da formação, sempre estavam lá outras duas turmas: 3º ano, 2º ano e 1º ano.

    Sr. Presidente, e aí vi a alegria da qual estavam possuídos todos os Oficiais presentes, Oficiais e Praças. Vendo que a tentativa sórdida de acabar com o curso de formação de Oficiais na Academia Dom João VI, esta tentativa não tinha sido consumada pela reação daqueles que, movidos pelo verdadeiro amor corporativo, restabeleceram o curso.

    E eu quero, primeiro, mandar um forte abraço e até com o agradecimento ao Dr. Roberto Sá, Secretário de Estado da Segurança Pública e ao Coronel Wolney Dias, Comandante Geral da Corporação. Lá estive e tive a oportunidade de, em conversando com muitos Oficiais, recolher o apreço que todos manifestavam, também, ao Coronel PM Roberto Cavalcante Viana, Comandante daquela Escola.

    Sr. Presidente, quando muitos falam na formação dos policiais militares, a necessidade de desenvolver projetos que a cada dia mais qualifiquem os profissionais da Corporação para o desempenho de suas tarefas, quando a Segurança Pública representa, hoje, um grande desafio à nossa sociedade carioca e fluminense, ver a recuperação daquele curso, nos enche de orgulho e também de alegria.

    Portanto, eu quero, desta tribuna, dizer quando policiais militares estão tendo a vida ceifada alcançando, em 2017, um número tão elevado de policiais militares que perderam a vida, não só buscando promover a segurança da população, mas também pelo simples fato de serem policiais militares.

    Ouvi o Hino da Polícia Militar que diz, Deputada Martha Rocha, “em cada soldado tombado, mais um sol que nasce no céu do Brasil”. Eu não sei quantos sistemas solares existem hoje representando os policiais que perderam a vida no cumprimento do dever. Eu não sei.

    Outro dia, foi descoberto um novo sistema solar, e eu ao ler no jornal e ao ver na televisão a descoberta, cheguei a pensar: será que esse novo sistema solar surgiu a partir de um policial militar que teve a vida ceifada?

    Sr. Presidente, quando os policiais militares comemoram os 208 anos de criação da Corporação, quero dizer que a Policia Militar de hoje, também, acumula a soma de experiências da Polícia Militar do antigo Estado do Rio de Janeiro, não pelo fato de a Polícia Militar, desde o tempo do Império, depois passando a Distrito Federal, Estado da Guanabara, ser a mais antiga. Isso não pode também ocultar, esconder a existência da Polícia Militar do antigo Rio de Janeiro. Portanto, quero desta tribuna, dizer que mesmo com os desafios do momento, quando o sacrifício tem sido exigido de tantos policias militares, quando o sacrifício resulta em ferimentos e em mortes, sei que os policiais militares também não vão esmorecer.

    Sr. Presidente, o meu abraço grande à Deputada Martha Rocha, aos companheiros da Polícia Civil e também um grande abraço aos meus companheiros da Polícia Militar, mais uma vez reiterando os meus agradecimentos por ver o ressurgimento da Academia João VI, a recuperação do curso de formação de oficiais na Academia Dom João VI. Mais uma vez mando um abraço ao Dr. Roberto Sá, Secretário de Estado da Segurança Pública, e ao Coronel Wolney Dias, Comandante-Geral da Polícia Militar.

    Muito obrigado.

    O SR. PRESIDENTE (Janio Mendes) – Obrigado, Deputado Paulo Ramos.

    Fonte: Site da Alerj

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Current ye@r *