• #VIRAOJOGORIO: LOTERJ LANÇA CAMPANHA CONTRA CONCESSÃO DAS “RASPADINHAS”

    COMISSÃO DE TRABALHO DA ALERJ DISCUTE POSSÍVEL LEILÃO DE CONCESSÃO DA LOTEX – Por Thiago Lontra

    Ausência dos recursos afetaria projetos sociais apoiados pela Loterj

    O Governo Federal planeja abrir um processo de concessão por 25 anos da Lotex, braço de loterias instantâneas da Caixa Econômica Federal responsável pelas conhecidas “raspadinhas”, que permite que os jogadores saibam o resultado logo após a compra do bilhete. No entanto, a maior parte do lucro das vendas dessa modalidade no Rio de Janeiro é usada para apoiar projetos sociais. Por conta disso, a Loteria do Estado do Rio de Janeiro (Loterj) lançou a campanha #ViraOJogoRio em audiência pública da Comissão de Trabalho da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) realizada nesta quarta-feira (04/10).

    De acordo com o presidente da Loterj, Sérgio de Almeida, 70% do lucro das vendas das raspadinhas e do Rio de Prêmios, cerca de R$ 20 milhões anuais, são destinados a projetos sociais, como definido pelo Decreto Lei 138/75. “A Loterj está inserida na cultura do estado há mais de 75 anos. Ela é um patrimônio do nosso estado, além da evidente função social que ela cumpre, apoiando entidades que cuidam de crianças vítimas da violência e das drogas, entre outros”, declarou.

    O presidente também se mostrou preocupado com o monopólio das lotéricas do país nas mãos da União. “Isso tá errado. Ninguém aguenta mais que o Governo Federal fique com todo o dinheiro e depois fique distribuindo tostões aos estados e municípios”, disse Almeida.

    O deputado Paulo Ramos (PSol), presidente da Comissão de Trabalho, disse que vai mobilizar outros parlamentares estaduais e federais na campanha, além de promover encontros com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar reverter a situação. “Qual é a razão para o governo fazer isso? Eu acredito que a Alerj pode dar uma contribuição, com resistência e sua força política, para impedir isso”, defendeu.

    Ações sociais

    Entre as instituições apoiadas pela Loterj estão a Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos (Andef), que atende cerca de 7.000 pessoas por ano, 42 das 64 unidades da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAEs) do estado e 22 das 26 unidades Pestalozzi, que juntas fazem cerca de 43 mil atendimentos por ano. “O dinheiro banca equipamentos de fisioterapia e outros tratamentos, além do pagamento dos trabalhadores”, pontuou o presidente da Loterj.

    Outra instituição apoiada pela Loterj é a Casa da Criança e do Adolescente de Volta Redonda, que atua em todo Médio Paraíba e recebe cerca de mil pessoas por mês. A instituição é administrada pela Irmã Elizabeth Alves, de 75 anos, que também é fundadora do projeto.

    De acordo com ela, o repasse da Loterj fez com que a estrutura da instituição melhorasse. Hoje, seis campeões estaduais de taekwondo e 19 músicos de orquestras profissionais são oriundos da iniciativa de Elizabeth, que afirma que não há mais nenhuma criança pedinte nas ruas da cidade. “Sem a ajuda da Loteria, eu e meus funcionários vamos ter que voltar a pegar a xepa das feiras e muitas crianças voltarão para a rua”, lamentou.

    Durante o encontro, a defensora pública Ana Paula Teixeira, que integra a Coordenadoria da Criança e do Adolescente do órgão, ainda pontuou a importância dos recursos da Loterj em meio à crise que os abrigos passam, já que não recebem da Fundação para Infância e Adolescência há meses. Entre elas, está a instituição da Irmã Elizabeth, que ainda espera receber os recursos referentes aos três últimos meses de 2016.

    A campanha

    A campanha será feita virtualmente, através de um site que ainda será lançado, e coletará assinaturas para uma petição contra a concessão. Na plataforma, também serão postados vídeos com relatos das instituições e pessoas beneficiadas pelos repasses da Loterj. “Eu tenho certeza que a gente vai mobilizar todo mundo”, disse o presidente da Loteria.

    Fonte: Site da Alerj

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *