• PAULO RAMOS LANÇA MANIFESTO

    Em nosso país, a distribuição de rendas, fruto do trabalho da sociedade, é injusta, desumana, criminosa, fazendo com que milhões de brasileiros vivam na miséria absoluta.  E isto ocorre enquanto uma casta de grandes empresários, acumulam cada vez mais riqueza.

    Em nosso país, a distribuição de rendas, fruto do trabalho da sociedade, é injusta, desumana, criminosa, fazendo com que milhões de brasileiros vivam na miséria absoluta.

    E isto ocorre enquanto uma casta de grandes empresários, acumulam cada vez mais riqueza.  Esta casta, que é constituída pelos privilegiados, compõe uma classe social, que controla política, econômica e socialmente o poder no país, sobre todos os brasileiros, escolhendo e manipulando governos, para garantir o aumento de seus privilégios, fruto da riqueza gerada pelo conjunto da produção do povo trabalhador.

    Esta classe social, de privilegiados, se mantém aliada às empresas internacionais, oriundas das grandes potências, que constroem filiais em nossa terra, carreando para seus países de origem uma parcela da riqueza produzida aqui. Estes grandes monopólios internacionais são aliados de grandes empresários brasileiros, sem qualquer compromisso com a soberania nacional.

    De acordo com a visão dos componentes desta classe social, cabe ao povo trabalhador, se manter, apenas com uma pequena parcela do valor de seu trabalho, vivendo explorado e humilde, enquanto a riqueza que produz, os conhecimentos maiores conquistados em nossa época pela humanidade, beneficiam apenas os privilegiados.

    Desta forma, a qualidade dos serviços públicos que oferecem à população em geral, são de nível inferior, diferenciadas daquelas com que contam. E os serviços públicos de saúde para o povo são de baixa qualidade.Quanto aos conhecimentos de educação que repassam para os explorados são para que saibam apenas o que estes senhores pretendem que conheçam, mantendo-os servis, e sabendo executar os trabalhos que lhes são determinados. Mas os poderosos são educados e informados nos centros criados somente para capacitá-los, formando futuros senhores do poder na sociedade.

    Quanto a alimentação dos trabalhadores é de baixa qualidade, é a que estes podem adquirir, com os salários que recebem. Via de regra, são salários muito baixos, que permitem apenas suprir suas necessidades básicas, para que voltem ao trabalho.

    As habitações ditas populares, em grande maioria são deficientes, isto quando existem recursos para construí-las ou comprá-las, havendo também, uma parcela da população, conhecida como “sem teto”, porque sequer tem uma moradia.

    E milhões de pessoas, nas cidades e no campo, sequer contam com um emprego que possa lhes dar o mínimo necessário para a sobrevivência, visto que a estrutura de produção da sociedade é controlada pela classe dos poderosos e organizada apenas para atender seus interesses pessoais e não à sociedade em geral. E estes senhores poderosos buscam apenas a maior parcela de lucro possível, sem atender às necessidades da população.

    Desta forma, uma grande parte da população brasileira vive marginalizada, desempregada, sem conhecimentos, tanto nas cidades quanto nas áreas rurais, sendo que sobrevive em condições sub-humanas, sem perspectiva de emprego, com uma parcela chegando a desenvolver prática de banditismo, principalmente na faixa da juventude.

    E uma parcela dos senhores do poder, juntamente com alguns de seus governantes, afirmam que a solução deste problema existe, com a eliminação física destes seres humanos, que compreendem como excedentes sociais. Isto para que possam manter seus privilégios, que sentem estão ameaçados.

    Nas áreas rurais expulsam de “suas” terras o que compreendem como a mão de obra excedente, que não lhes interessa, com grande parte destas pessoas marginalizadas, seguindo para as cidades, em busca de condições de sobrevivência. E nestas, o número de favelas, cresce, também afirmam, ameaçando seus privilégios. Reprimem estes “sobrantes”, da forma que lhes seja possível, utilizando-se dos meios que acreditam necessários em cada momento, pouco lhes importando, os princípios humanos fundamentais.

    Neste quadro, se um Presidente da República, que tenha sido eleito pela população, não atender a seus interesses, derrubam-no através de um “Golpe de Estado”, colocando em seu lugar um de seus “capachos”, que atenda suas determinações. E da população em geral, sempre buscam retirar pequenos direitos que esta tenha conquistado, para que sobrem mais recursos, sempre investidos em áreas de seus interesses.

    Desta forma derrubaram a Presidente Dilma Rousseff através de um Golpe de Estado em 2016, se utilizando da Câmara de Deputados para este fim, onde contam com a maioria dos que foram eleitos, sendo que esta Presidente foi substituída por outro de sua confiança.

    Nestes termos, é fundamental para a população, que esta eleja Deputados Federais que substituam os representantes dos privilegiados, que cuidem dos interesses dos trabalhadores e da população marginalizada pelo sistema.

    Este é um dos motivos que me levaram a trocar o cargo de Deputado Estadual, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, pela candidatura a Deputado Federal, para a qual fui eleito durante o período de Brizola governador, quando elaboramos a Constituição de 1988.

    Pretendo contribuir para eleger uma Câmara Federal constituída, em sua maioria, por parlamentares comprometidos com os interesses do povo e não dos privilegiados, uma maioria que denuncie os vendilhões da pátria e os traidores do povo.

    Desta forma, acredito que caiba à população votar em candidatos com um histórico de vida vinculado ao povo, que busquem tratar do avanço conjunto da sociedade e não apenas dos interesses dos que atualmente comandam o país.

    Destaco que uma das maneiras de que estes privilegiados se utilizam para ganhar eleições é a de ludibriar o povo, através das máquinas de comunicação que dominam, ou seja, de TVs, jornais e rádios. Outra forma comum é a de fazer pequenas dádivas em períodos eleitorais, distribuindo aqui e lá um saco de cimento e outras migalhas em troca de votos.

    Aos trabalhadores, aposentados, servidores públicos, desempregados, favelados e camponeses, etc, acredito ser fundamental que se organizem para superar o quadro social existente na atualidade esperando estar dando a minha contribuição a esta luta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *