COMISSÃO DE TRABALHO DEBATE IMPORTÂNCIA DO “SISTEMA S” PARA O BRASIL

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público realizou, a pedido do deputado federal Paulo Ramos (PDT-RJ), na terça-feira (8), debate sobre o papel do “Sistema S” no mundo do trabalho, na sociedade e na economia do País. O sistema “S”, entidades patronais voltadas para o treinamento profissional, assistência social, consultoria, pesquisa e assistência técnica, é formado pelo Senai, Sesc, Sesi, Senar, Senac, Sescoop e Sest.

 Durante a reunião, os parlamentares ressaltaram a importância para o Brasil do trabalho realizado pelas instituições do chamado “Sistema S”. Para Paulo Ramos, o sistema vem sofrendo ameaças de cortes na receita diante de constantes ataques. “Os serviços de aprendizagem são importantes aliados para o desenvolvimento do país no esforço para melhorar a qualidade da educação, elevar a escolaridade dos brasileiros e criar ambientes de trabalho seguros e saudáveis. O Sistema S oferece educação básica e profissional, tecnologia e inovação, saúde e segurança para os trabalhadores, cumprindo, no uso dos recursos da contribuição compulsória, a missão conferida pela Constituição Federal”, argumenta.

Um dos participantes da audiência pública, o diretor de Operações do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Gustavo Leal, destacou que as instituições do Sistema S são ainda mais relevantes para o país diante da ‘4ª revolução industrial’. “Os países serão mais bem sucedidos quanto maior for a capacidade de educar bem a população. Se o Sistema S já foi relevante para o país, torna-se ainda mais em um cenário em que a educação é o grande fator de sucesso da economia dos países no século 21”, defendeu.

Leal afirmou que o SESI e o SENAI estão preparados tanto para formar profissionais quanto para apoiar empresas brasileiras a se inserirem na indústria 4.0. Ele disse que as duas instituições atendem mais de 2.700 municípios com educação básica e profissional, inovação, consultorias em produtividade, assim como com ações de saúde, segurança no trabalho, esporte, lazer e cultura. Apenas no ano passado, o SESI realizou 1.171.852 de matrículas em educação básica, continuada e ações educativas, e o SENAI ofertou 2.310.643 matrículas em educação profissional.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *