• 10.12.2014 – CONCURSADOS DA FESP SÃO RECEBIDOS EM AUDIÊNCIA

    Yago Barbosa - Alerj

    Yago Barbosa – Alerj

    Mais de 6 mil profissionais da saúde – entre eles técnicos de enfermagem, psicólogos, enfermeiros, médicos e nutricionistas – que prestaram concurso de caráter temporário em 2008 para a Fundação Escola do Serviço Público (Fesp) trabalharam além do prazo previsto, de até dois anos, sem que recebessem confirmação de desligamento do cargo. Apesar de terem sido notificados por telegrama sobre o afastamento, em 2013, eles permaneceram com seus nomes na folha de pagamento do estado. Até hoje, a maioria deles, que está afastada, não sabe se continua com a matrícula ativa como servidor. Cerca de 60 destes trabalhadores estiveram em audiência pública da Comissão de Trabalho, Legislação Social e Seguridade Social da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), nesta quarta-feira (10/12).

    Para o presidente da comissão, deputado Paulo Ramos (PSol), trata-se de um desrespeito com os servidores. “Questionamos como é possível esse desrespeito com servidores. Embora tenham sido dispensados, não há comprovação do desligamento deles”, afirmou o parlamentar.

    A dificuldade de assumir uma nova função é outro problema enfrentado pelos concursados da Fesp. O técnico de enfermagem, hoje contratado pela Prefeitura, Jairo Lourenço comprovou que sua matrícula ainda está ativa. “Quando fui assumir, em 2013, um concurso da Prefeitura, foi constatado que eu não havia declarado uma matrícula estadual. Solicitei,então, um documento da Secretaria de Estado de Saúde atestando que eu não estava prestando serviço no momento. Quando a validade do papel venceu, tive meu pagamento travado”, relatou. Também esteve presente o superintendente Regional do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego, Elmar Fonseca.

    Texto de Mariana Totino

    Fonte: Site da Alerj

2 Respostasaté agora.

  1. Marcia Uchôa disse:

    Ola , até hoje recebo papeis e mensagens como se eu foce servidora e o nosso pis que depois de 5 anos virou pasep porque isso ,

  2. Silvia Figueira disse:

    Boa noite! Teoricamente, fui desligada em maio/2014, ao término da licença maternidade. Porém, ao entrar no site da PRODERJ, minha matrícula e ID continuam ativos, e consigo acessar meus contracheques normalmente. Não recebi qualquer comunicado de desligamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *